gaza

aqui está um tema bem mais importante e sério que o futebol: a guerra entre israelitas e palestinianos.
já aqui escrevi uma vez que a minha melhor amiga é simpatizante assumida da causa palestiniana e um dos meus melhores amigos é judeu. de resto fiz alguns bons amigos junto da comunidade israelita de lisboa e disso tenho muito orgulho.
por tudo isto é-me difícil manter o coração aberto e analisar o problema sem o ingrediente paixão pelo meio.
se por um lado condeno a força excessiva utilizada por israel no ataque à faixa de gaza onde centenas de inocentes estão a ser mortos, não posso deixar de condenar igualmente os ataques palestinianos contra israelitas igualmente inocentes.
de ambos os lados da barricada existem homens, mulheres e crianças que apenas desejam a paz e viver em harmonia com os vizinhos do lado. em ambos os lados da barricada existem fundamentalistas que teimam em manter o estado de terror.
a razão, seja lá isso o que for, assiste a ambos os lados: ambos os povos têm o direito à existência e a serem livres e independentes. ambos os povos possuem direitos históricos a um "pedaço de terra".
o problema é que ambos os povos são mais parecidos um com o outro do que aquilo que provavelmente desejariam.
religião e política raramente combinam e coexistem em harmonia e enquanto de um lado e de outro não se colocar o passado para atrás das costas e se avançar concertadamente a história continuará a repetir-se.
pela minha parte vou continuar amigos dos amigos e apenas desejo um dia juntar os dois na mesma mesa num jantar mágico, ou então promover um jogo de bola. prometo que jogo na baliza das duas equipas...meia parte em cada lado.

Comentários

O Cigarrilha disse…
o Hamas é uma barbaridade da humanidade...

já nem falo dos ataques terroristas contra os judeus...

basta ver o que fizeram á OLP...

agora o Estado de Israel não estará a ficar igualmente uma Organização Terrorista?

com outros meios e forças?

na Faixa de Gaza não é guerra o que está a acontecer...é terrorismo!

caro JCS desde que isto começou por cada israelita que morre...morrem 100 palestinianos!

muitos deles crianças inocentes!

Israel está a violar o direito internacional ou não está?

é curioso isto acontecer nos últimos dias da presidência de Bush....

há aqui mosquito por cordas...

bem sei que as coisas não se podem comparar nem são comparáveis....

mas como seria aqui em Espanha( e consequentemente na Europa) se cada vez que a ETA fizesse um atentado em terras espanholas....o Governo Espanhol bombardeasse o País Basco?

isto nunca acontecerá porque o Estado Espanhol é um Estado de Direito e não terrorista!

quantos inocentes no mundo morreram nestes últimos 8 anos de carnificina de Bush?

Saúde caro JCS
Lúcifer disse…
Sr. José Carlos Soares:penso que o sr. antes de escrever o poste, deveria ter feito a distinçao entre judeus e israelitas.Isso é muito importante.
Este tema sem dúvida é mais importante que o futebol.Mas, e desculpe que lhe diga, nao pode ser tratado com a ligeireza com que o sr. o faz neste seu poste.Este conflito, surgiu há muitos anos atrás, e quem deveria ser condenado, passa pura e simplesmente incólume, pois roubou a Terra aos Palestinos, para criar Israel. Os Judeus nunca tiveram pátria.Se repararmos bem, foi a "mentalidade vigente" que criou Israel, usurpando a terra aos seus verdadeiros donos, os Palestinianos. E o Israel Judeu faz o que qualquer potência colonizadora faz: ocupa a Palestina a seu bel-prazer, espalha "kibutins", "cooperativas" fortemente armadas em plena Palestina, ergeu um muro nao sei quantos kilómetros dentro da terra palestina, corta a água e electricidade quando e como quer, controla e oprime a Terra Palestina. É a mentalidade de construir o Grande Israel Bíblico. Mas como é o cao de fila do imperialismo ocidental, o sentinela dos EUA no Médio Oriente, tem toda a assistência militar de que necessita, enquanto os Palestinos lutam para libertar a sua Pátria, com "fundas". Isto claro comparando o poderio militar judeu com o palestino. Nao denunciar isto, é aceitar o que a "mentalidade vigente" fêz em África: dividiu quem nunca deveria ter dividido, juntou quem nunca devia ter juntado. Traçou fronteiras ao arrepio da história milenar africana, ocupou e assassinoi como e quem quis. E numa hipócrisia revoltante "deu" a independência, depois de séculos de escravidao, e como nao podia criar vários Israel, colocou no poder dos estados fantoches africanos, ditadores como Idi Amin, Bokassa, José Eduardo dos Santos, etc.etc.etc.. E assim assiste impávido e sereno o Mundo civilizado a um dos maiores genocídios da História. Hediondo.
Dylan disse…
O conflito israelo-palestiniano
A comunidade internacional apressou-se a condenar a invasão israelita aos territórios palestinianos. Sem dúvida que têm razão. Mas será que também tiveram a mesma atitude aquando da invasão russa à Georgia? E por falar em Russia, não foi a ex-URSS que fomentou sub-repticiamente a "Guerra dos Seis Dias" ao colocar-se do lado da aliança árabe? Será que alguém condena as palavras de instigação à guerra e à "intifada" anti-semita do iraniano Amandinejah ou as suas ameças nucleares?


Mas afinal quem governa a Palestina? Não são partidos fanáticos que inclusive degladiam-se para tomar o poder? Israel abandonou alguns territórios da Faixa de Gaza e da Cisjordânia para evitar mais conflitos e pelos vistos levava com uns "rockets" de agradecimento! A frágil Autoridade Palestiniana não consegue controlar os grupos de extremistas. É preciso ponderar friamente a situação no Médio Oriente e atentar nas palavras de Robert Cooper: "o conflito alimenta o fanatismo e proporciona aos fanáticos os meios de destruição". E nos dois lados da barricada são os inocentes que sofrem mais.

http://dylans.blogs.sapo.pt/
tchicoesperto disse…
Eu nao percebo muit bem as razo~es desta guerra. Mas uma coisa é certa se o meu viziinho passa se os dias a atirar pedras as minhas janelas so me apetece dar lhe tareia...

Mensagens populares