a gata cega

confesso e assumo que não gosto de gatos, não sei se será uma questão alergológica, epidérmica ou outra qualquer. não gosto e ponto final.
em casa dos meus pais começaram a aparecer há uns meses um gato e uma gata, vadios, em formato pequeno a quem a minha mãe dava de comer. sempre que eu lá vou lá tratava de os mandar embora perante o olhar reprovador da minha mãe que desde que lhe morreu, de velhice, o caniche anda meio frágil, sim porque apenas uma fragilidade é que poderá explicar esta súbita paixão por gatos.
esta semana quando vim visitar os meus pais lá continuava a gata e o gato à espera do petisco, nova corrida e os gatos, parecendo ter visto um qualquer cachorrão, desapareceram num ápice.
ao jantar a minha mãe contou-nos que a gata estava cega de uma vista porque há duas semanas aparecera com um olho todo negro como se tivesse levado um pontapé.
esta coisa da consciência começou a roer cá dentro: uma coisa é fazer "xô fora daqui gatos vadios" e outra coisa é partir para o pontapé nos bichanos.
levantei-me da mesa e vim espreitar cá fora, pelo vidro da porta, e lá estavam os gatos, olhei para os olhos da gata e de facto a vista direita estava completamente vidrada.
voltei para a mesa e a minha mãe continuava, deliciada por perceber que eu estava meio incomodado com a situação, a debitar detalhes:"coitadinha da bichinha, quando lhe dou comida ela até tem que virar a cabeça para conseguir ver o prato com a vista que não está cega".
já o jantar não me sabia a nada, peguei no resto dos carapaus, tirei-lhes as espinhas e vai de levar os lombinhos para o prato da gata que assim que me viu sair da porta desatou a fugir. ainda fiquei pior e tentei fazer uma vozinha meiga e suave a dizer que agora eu era amiguinho e tal e coisa e que estava muito arrependido de noutros tempos os ter mandado dali para fora.
ao fim de dois dias eles já começam a não ter medo de mim, ou pelo menos já não fogem porque os gatos não são de dar muita confiança a animais de duas pernas.
hoje já fui comprar ração para os gatos e espero que eles me perdoem por os ter mandado embora, é que ninguém me tira da cabeça que provavelmente a besta que deu o pontapé que cegou a gata o fez numa das alturas em que eu os mandei embora da casa dos meus pais...

Comentários

Natálio Santos disse…
Actualmente quanto mais conheço o ser humano mais gosto dos animais...!!!Abraço
Anónimo disse…
Parabéns, pelo texto e por aquilo que ele expõe.
unresigned disse…
Fantástico, Zé Carlos.
Fossem todas as pessoas capazes de abrir o coração e a mente...
Por vezes, basta mesmo parar um pouco para pensar.

Mensagens populares